Como a vida pessoal dos atores já influenciou a trama de uma série?

Por , 25 de novembro de 2007 @ 13:17      

William Petersen, Isaiah Washington e Sarah CalliesVocê já se perguntou por que aquele personagem morreu? Ou o que passou na cabeça dos produtores para colocar uma gravidez na trama? Antes de xingar os roteiristas de suas séries favoritas, saiba que a vida pessoal de alguns atores já influenciou (e muito) o enredo das séries.

Em "C.S.I.", por exemplo, William Petersen, que interpreta Gil Grissom, pediu licença para atuar em uma peça de teatro e abriu caminho para um novo e intrigante personagem: Michael Keppler. Interpretado por Liev Schreiber, Keppler roubou a cena no laboratório de Las Vegas e levantou a sétima temporada do drama criminal. Foi uma pena ele ter morrido depois de apenas quatro episódios.

Quem também se afastou das câmeras por um tempo foi Joely Richardson, a Julia de "Nip/Tuck". Para acompanhar o tratamento de sua filha que sofre de um problema crônico de circulação, a atriz precisou deixar o mundo dos cirurgiões plásticos de lado no quarta temporada e sumiu dos últimos episódios. Felizmente, Joely já confirmou que, com a melhora de sua filha, volta para a quinta temporada da série.

Já Eric Balfour foi mais longe. O ator de "24 Horas" pediu para os produtores matarem seu personagem, Milo Pressman, na sexta temporada, depois de receber um convite para estrelar a nova série "Protect and Serve". Milo teve uma morte surpreendente na CTU, mas Eric não conseguiu engatar a série — a rede CBS deixou o programa de lado.

Enquanto Balfour pediu para sair, Isaiah Washington levou um pé da produção de "Grey's Anatomy". Depois de xingar seu colega de elenco, T.R. Knight (o George), Isaiah deixou a série médica no final da terceira temporada e, claro, alterou a trama. Seu personagem, o doutor Burke, largou a noiva Cristina (Sandra Oh) no altar e deixou para sempre o Seattle Grace Hospital.

Mas nada afetou tantas séries como a gravidez de suas atrizes. Afinal, o barrigão é difícil de esconder e pode não combinar com algumas personagens. Em "Seinfeld", por exemplo, a Elaine jamais apareceu grávida apesar da atriz Julia Louis-Dreyfus ter tido duas gestações ao longo da série. Na primeira, os roteiristas mandaram a personagem para Europa com seu terapeuta e na segunda, o pessoal de figurino se desdobrou para esconder a barriga de Julia com roupas mais largas. A mesma "técnica" foi usada com Gillian Anderson, a agente Dana Scully em "Arquivo X".

O curioso no caso de Anderson é que sua licença maternidade deu origem a um dos acontecimentos mais marcantes da série de ficção científica: a abdução de Scully na segunda temporada. O desaparecimento da agente foi essencial para o desenvolvimento da mitologia de "Arquivo X" e, claro, para seu estrondoso sucesso.

Enquanto alguns preferem ignorar a gravidez, outros a colocam na trama. Foi o que aconteceu com Jennifer Gardner em "Alias". A espiã Sydney Bristow incorporou o barrigão na quinta e última temporada da série. Mais recentemente, a Sam de "Without a Trace", também irá aparecer grávida, já que os produtores resolveram aproveitar a gravidez de Poppy Montgomery.

Já a atriz Sarah Wayne Callies não deu nem chance para a produção de "Prison Break". Depois de descobrir que estava esperando seu primeiro filho, a atriz deu adeus a Scofield e não aparece na terceira temporada da série. Aqui você descobriu o destino de Sara Tancredi na trama.

Na ilha de "Lost", os atores enfrentam um problema recorrente: são pegos desobedecendo as leis de trânsito do Havaí. Nada menos que quatro atores da série foram presos e, coincidência ou não, três deles foram mortos na misteriosa ilha: Michelle Rodriguez (a Ana Lucia), Cynthia Watros (a Libby) e Adewale Akinnuoye-Agbaje (o Mr. Eko). O último a desobedecer à lei foi Daniel Dae Kim. E agora, será que Jin também morre na ilha?


 

Receba nossas publicações por e-mail:

 

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO (VIA FACEBOOK)

Não tem Facebook? Use o formulário abaixo:
Quer ter sua foto ao lado do comentário? Cadastre-se no Gravatar!

ATENÇÃO:
Toda e qualquer mensagem publicada através do sistema de comentários não reflete a opinião deste site ou de seus autores. As opiniões enviadas através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade dos visitantes que dele fizerem uso.

Sobre Pablo Biglia

Paranaense de coração, idolatra os seriados desde 1995, quando seu guilty pleasure era “Power Rangers”. Viciado sempre em “Friends” e “Seinfeld“. Hoje é fã fiel de “Orphan Black“, “Scorpion“, “Scandal“, “The Big Bang Theory“, “How To Get Away With Murder“, “RuPaul’s Drag Race” e Project Runway. No Twitter: @mr_biglia. Foi contra o golpe de 2016!